top of page

Qual o valor da segurança corporativa?

Sempre reclamamos que o orçamento de segurança é cortado, ou então que é difícil evidenciar o valor da pasta de segurança, uma vez que seu valor é intangível. Em outras palavras, somente é percebido o impacto dos cortes no orçamento de segurança quando acontece um sinistro e o prejuízo acaba sendo imensamente maior do que toda a economia de anos cortando o orçamento de segurança, não é mesmo?


Mas já pararam para pensar como a segurança pode servir como plataforma para diversos outros setores da empresa?


Se o time de marketing precisa fazer mapa de calor das lojas, obter dados de gênero, idade, comportamento do cliente durante o processo de compras, porque não podemos trabalhar a coleta desses dados à partir das imagens das câmeras de monitoramento e entregar esse “valor” ao potencial cliente interno?


Se o time de operações/administrativo precisa identificar a necessidade de reposição de produtos nas gôndolas, reposição de estoque, tempo de carga / descarga, ociosidade de funcionários, otimização de atendentes de balcão, frente de loja, caixas, etc... por que não entregar essas informações acionáveis em tempo real para a melhor gestão administrativa?


Se área de recursos humanos precisa garantir a segurança do trabalho validando autorizações e controle de acesso, utilização de EPIs, comportamento de risco, tempo de descanso ou jornada, por que a área de segurança patrimonial não ajuda na identificação destes riscos pessoais?


Mas como assim conseguimos entregar esse valor? Vamos tangibilizar trazendo alguns exemplos?


Com o acesso às imagens, embarcando Inteligência Artificial fazendo o reconhecimento de padrões de forma autônoma, é possível identificar o padrão de trânsito dos consumidores em uma loja de varejo, por exemplo. Identificar onde os clientes permanecem por mais tempo, qual o fluxo mais utilizado até esse ponto, e podemos entregar isso como um mapa de calor para a área de Marketing. Isso sem alterar as câmeras hoje utilizadas para vigilância e monitoramento.


Reposicionando ou adicionando algumas câmeras é possível monitorar de forma automática a ruptura de gôndolas, ou seja, a falta de algum produto nas prateleiras de um supermercado e como um alerta de segurança, já lançar essa informação diretamente ao repositor ou à administração.


As imagens que monitoram o estoque podem muito bem alertar a administração quando o empilhamento de um determinado produto atingir níveis abaixo da média, de modo automático e novamente reconhecendo o padrão de volume de estoque e cruzando informações com a sazonalidade.

Já temos câmeras fazendo a vigilância das docas de carga/descarga, não é mesmo? Logo, com Inteligência Artificial, uma vez mais reconhecendo padrões, é possível identificar o tempo médio de carga/descarga e trazer a informação ao gestor do pátio logístico de que um determinado carregamento está atrasado e pode impactar, portanto, na cadeia logística daquela gestão.

Identificando uma quantidade média maior que o normal de pessoas em um setor é possível enviar mensagem diretamente ao gerente de loja, indicando que seria melhor abrir mais um caixa para atendimento, prevendo a formação de filas ou de maneira temporária, levar mais vendedores para a área de artigos infantis, por exemplo.


É fácil o reconhecimento de padrões na movimentação de empilhadeiras, identificando qual a velocidade média ideal para se evitar acidente, ou identificando a presença de pessoas em proximidade arriscada enquanto uma pá carregadeira está em movimento à partir das imagens que juntam um mundo de dados sobre a segurança dessas movimentações, logo, identificar um operador de empilhadeiras que na ânsia de realizar o trabalho o mais rápido possível acaba exagerando na velocidade de suas movimentações internas.


Isso tudo, é claro, desde que a postura do profissional moderno de segurança seja aderente com as mais novas práticas de tecnologia e abra oportunidade para que a incorporação de novas abordagens tecnológicas possam não ter somente o único objetivo de reduzir o custo de mão de obra, mas sim, trazer mais valor ao negócio e permitir que a mão de obra antes má qualificada possa se qualificar mais, e assumir postos de ainda maior valor, entregando esse tipo de informações aos diversos outros departamentos da empresa.

Dessa forma assumimos um posicionamento estratégico de não somente evitar prejuízos ao patrimônio, mas trazer mais recursos ao negócio principal da empresa.


Sendo útil para diversos outros setores da empresa, nada mais justo que compartilhar orçamento entre essas verticais. E sendo a plataforma de segurança, o concentrador de toda essa infraestrutura que proverá informações valiosas para a companhia, nada mais justo que a área de segurança a gestora dos recursos.


Com isso, conseguimos não só defender o orçamento ideal, mas ainda obter acesso a linhas de recurso que seriam inalcançáveis de outra forma, conseguindo assim, melhorar ainda mais a premissa básica de nosso trabalho, que é a segurança patrimonial e de pessoas.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page